RE/MAX MSA - Imobiliária especialista nos bairros de Perdizes, Pompeia e Pinheiros
Quais as principais taxas imobiliárias

Quais as principais taxas imobiliárias?


Embora a aquisição de um imóvel seja um sonho para milhões de brasileiros, a maioria deles não presta atenção nas taxas imobiliárias. Ao dar entrada na compra ou financiamento de uma casa, ou apartamento, as pessoas costumam fazer um orçamento com base no valor de mercado total do imóvel.

Até aí, tudo bem, mas existem várias taxas imobiliárias que fazem com que o valor estimado aumente. Em alguns casos, o aumento é tão significativo que ele pode desequilibrar os planos financeiros para que o imóvel seja adquirido em primeiro lugar.

Além de conhecer o que são as taxas imobiliárias e porque elas existem, é necessário saber alguns detalhes sobre cada uma, com base em seus tipos. É preciso mencionar desde as taxas de corretagem até as que estão relacionadas com os custos da mudança, e também calcular os impostos em cima do imóvel pretendido.

Visto que um imóvel é um bem durável, de valor alto, realizar sua compra e venda depende de fatores que não se resumem ao simples pagamento do valor de uma casa ou apartamento. Ademais, muitos se perguntam se existe algum mecanismo legal ou regulamento que traga a possibilidade de isenção ou da redução das taxas imobiliárias.

Conheça a seguir o que são as taxas imobiliárias, quais são seus tipos e como estão envolvidas no processo de compra de um imóvel. Veja também se é possível obter alguma forma de desconto nelas.

O que são as taxas imobiliárias?

Chamamos de taxas imobiliárias todo e qualquer quantia que esteja relacionada com o ato de comprar um imóvel, mas que não incide sobre o seu valor bruto em si. Por exemplo, se uma casa tem o valor de mercado de R$ 200.000,00, para adquiri-la, seja por meio de financiamento ou compra, a quantia será acima disso.

O que são as taxas imobiliárias

Fonte/Reprodução: original

Quais são os tipos de taxas imobiliárias?

As taxas imobiliárias podem ser relativas às questões fiscais, jurídicas ou até mesmo aos serviços prestados na mudança. Veja a seguir o que elas significam.

Corretagem

A compra de um bem tão caro quanto um imóvel requer, de maneira indispensável, segurança jurídica, por isso, esse tipo de negócio é feito com um intermediário, que conduz o trâmite entre o comprador e o proprietário. A corretagem pode ser feita por uma pessoa física, o corretor, ou uma pessoa jurídica, a imobiliária.

Seja por meio de quem, uma taxa sobre o serviço de corretagem é cobrada, o que equivale a uma porcentagem do valor total do imóvel pretendido. A porcentagem em si não é fixada em definitivo, mas geralmente é dada entre 6% e 8%.

ITBI – Imposto de Transmissão de Bens Imóveis

Essa é uma das mais importantes taxas imobiliárias, pois é um imposto de âmbito municipal, o qual deve ser pago na aquisição do imóvel, especificamente quando a propriedade é passada para o comprador.

É um tributo indispensável para a oficialização da compra, além de um requisito para que o imóvel seja entregue.

Cessão de contrato

Essa taxa é referente às negociações com construtoras. De fato, é uma cláusula de contrato condicional, pois é necessário que o comprador do imóvel em construção queira vender o direito ao imóvel a um terceiro.

Algumas construtoras colocam uma taxa de 5% para que o comprador possa transferir esse direito ao próximo dono do imóvel. Ademais, tal negociação ainda deve passar pelo crivo da própria construtora.

Registro de imóvel

A taxa imobiliária sobre o registro diz respeito à identificação do comprador como dono do imóvel, e o seu valor varia de local para local.

Escritura pública

Se o registro de imóvel declara a titularidade, isto é, identifica o proprietário, a escritura pública demonstra que o negócio da compra do imóvel foi feito.

É indispensável o pagamento da escritura quando a negociação é feita diretamente entre comprador e proprietário, e varia de cidade para cidade.

No caso de negociações feitas com objetivo de financiamento, a escritura pública é dispensável.

Cartoriais

As taxas imobiliárias relativas ao cartório são referentes a todos os documentos que o cartório emite para oficializar a compra do imóvel. Cada documento tem um preço, por se dizer, e o total corresponde às taxas cartoriais.

Taxa de interveniência

Essa taxa é uma forma de prevenir uma das partes do negócio. Quando um comprador recebe as chaves, mas não dá início ao financiamento, que é o pagamento da entrada do imóvel, pode ser cobrado até 2% do valor do imóvel.

Cobrada durante obra

Em casos onde a compra de imóvel é feita por meio de construtora, a empresa que presta o serviço pode cobrar em cima dos materiais utilizados. O valor corresponde a 2% do total do imóvel, mas a cobrança é embutida nas próprias prestações.

Bancárias

Hoje em dia, no Brasil, os financiamentos são uma das formas mais comuns de adquirir um imóvel. Como são feitos por instituições bancárias, é comum que haja uma cobrança (juros) que incide sobre o valor total.

A depender do número de parcelas, esse valor pode ser bem alto em relação ao estimado somente sobre o valor do imóvel.

Custo de vistoria

A vistoria é um serviço técnico que possui custos, pois é realizada por um arquiteto ou engenheiro.

É recomendado pedir uma vistoria para avaliar as condições hidráulicas e elétricas da propriedade.

Custo de mudança

Ainda que o custo com mudança não tenha natureza tributária ou legal, podemos considerá-lo como uma das taxas imobiliárias, pois é basicamente inevitável.

O valor sofre muita variação, de acordo com a quantidade de objetos transportados, a distância e quais são os locais de origem ou destino.

Existe alguma forma de desconto de taxas imobiliárias?

Visto que há uma variedade, que parece ser infinita, de taxas imobiliárias, vale a pena saber se existe algum meio de mitigar tantos custos. Para alívio da maioria, é possível obter descontos nas taxas.

Por exemplo, é possível obter um bom desconto na taxa relativa ao registro de imóvel, mas apenas em casos onde é feito o primeiro financiamento do titular, e o desconto é de 50%, correspondente ao valor que incide sobre o pagamento do tabelião, dos materiais e da documentação em si.

Existe alguma forma de desconto de taxas imobiliárias
Fonte/Reprodução: original

Mas há algumas exigências que devem ser obedecidas para conseguir o desconto no registro de imóvel. A primeira delas é a natureza do bem, que só pode ser usado para a moradia do próprio titular. Além disso, o financiamento deve ser feito pelo Sistema Financeiro de Habitação.

A terceira exigência é sobre o valor do imóvel, que não pode ultrapassar o valor estipulado para cada estado brasileiro.

Também é preciso mencionar o desconto para as pessoas que estão no Programa Casa Verde e Amarela, previamente conhecido como Minha Casa, Minha Vida. Quem está no programa pode conseguir descontos que vão até o valor total da taxa.

Ainda que os cartórios sejam obrigados a dar esse desconto, desde que todas as condições sejam obedecidas, o fato é que nenhum deles divulga a informação abertamente. É preciso buscar em meios, como a internet, as melhores formas de buscar descontos nas taxas imobiliárias.

É preciso ter uma declaração de próprio punho, que deve ser apresentada no cartório, a fim de pleitear os direitos relacionados ao desconto no registro de imóveis.

A atenção com as taxas imobiliárias é vital na hora de decidir comprar um apartamento ou casa, pois esses valores podem afetar o orçamento, ainda mais de um financiamento. Portanto, fique atento a cada um dos impostos, taxas e custos, e garanta a aquisição do seu imóvel com tranquilidade.


Adicionar comentário